FONTE: http://sambatech.com/blog/

retencao-05

É muito bom ter um grande público presente à sua palestra, mas melhor ainda é que as pessoas prestem atenção no que você fala. Da mesma forma, é ótimo quando seu vídeo atinge um grande número de visualizações, e é mais satisfatório quando a maior parte da audiência assiste até ao final. Neste post vamos falar como entender melhor a retenção do público dos seus vídeos – com a intenção, claro, de melhorá-la.

Vamos por partes

Já falamos neste blog sobre as métricas que você deve acompanhar para saber se seus vídeosdão resultados. Uma delas é a retenção, sobre a qual vamos nos concentrar. A retenção nos informa em que momento o usuário abandona seu vídeo. Os que não abandonaram, claro, são os que assistiram até o fim.

O gráfico de retenção do seu vídeo dificilmente terá a forma de uma linha reta, como a hipotenusa de um triângulo retângulo. Na verdade ele se parecerá mais com uma escada, com quedas “súbitas” ou bem definidas. Pela nossa experiência, são três degraus mais importantes: o nariz (os primeiros 2% do vídeo), o corpo (os 96% no meio) e a cauda (os últimos 2%). Vamos analisar um por vez.

Vale conferir: Como aumentar a audiência dos seus vídeos online [Infográfico]

O início…

O nariz é formado pelos primeiros 2% do vídeo. A queda de retenção aqui significa que o público se desinteressou imediatamente (confira apresentação). É interessante notar que a taxa de desistência é bem maior nos vídeos mais compridos do que nos curtos. Segundo pesquisa recente, ela é de 17% nos vídeos de 5 a 10 minutos e de 5% nos que duram 1 a 2 minutos.

…e o meio

O corpo é a “sustância” do vídeo, os 96% no meio. Em qualquer caso, seu vídeo sempre pode se beneficiar de uma edição mais ágil. Pense numa matéria de um programa como o CQC no qual o repórter entrevista cinco pessoas famosas. A solução mais preguiçosa seria mostrar trechos das cinco entrevistas na ordem: A, B, C, D, E. Mas, sem alterar a duração total do vídeo, os editores “sacodem” as conversas de modo que a matéria “vai e volta”, por exemplo: A, B, C, A, D, B, E, C. Pense em como você pode fazer isso na sua mensagem.

…o fim…

Estamos chamando de “cauda” os 2% finais do seu vídeo. Aqui há outra queda, em parte porque as pessoas têm péssimos hábitos. Pense bem. Até hoje, em qualquer filme da Marvel, ainda tem gente que pula da cadeira do cinema imediatamente após o que pensam ser o final, mesmo que as luzes da sala nem tenham sido acesas! Chegamos em 2014 e existem pessoas que ainda não sabem que todo filme da Marvel tem cenas depois dos créditos. Imagine então a motivação delas para ver aquele trechinho final do seu vídeo.

E então, achou didático irmos por partes na hora de entender a audiência do seu vídeo? Conte para a gente algum case de como você melhorou a retenção depois de descobrir onde estava o problema.